PT
  • International

  • English Version EN
Palma da mão aberta

2.º Simpósio Internacional de Flebologia

Update Flebológico

Desenvolvimentos e perspetivas

11.11.2017 - Hamburgo

Cerca de 150 participantes da profissão médica, terapeutas e enfermeiros, assim como especialistas em comercialização de produtos médicos, aceitaram o convite da Juzo para se deslocarem a Hamburgo e se atualizarem sobre o estado dos desenvolvimentos médicos e as perspetivas em flebologia.


A Prof. Dra. Stefanie Reich-Schupke, titular da única cátedra alemã em Flebologia da Universidade do Ruhr, em Bochum, tinha elaborado um programa de grande atualidade sobre este tema. Com a seleção dos palestrantes, conseguiu ganhar o prémio «Who is Who» (Quem é Quem) da flebologia alemã.  Por razões pessoais, teve de entregar nesse dia o ceptro à Prof. Dra.  Anke Strölin, médica-chefe do Serviço de Dermatologia do Hospital Universitário de Tübingen, que dirigiu o evento com confiança. Para os visitantes internacionais foi feita a tradução simultânea das palestras para inglês.


Nas suas saudações  a Prof. Strölin enfatizou a atualidade dos temas da palestra e registou com satisfação o interesse dos participantes do comércio especializado de produtos médicos e dos grupos de profissionais paramédicos.


A formação foi dividida em blocos de três palestras sobre Tromboembolia, Compressão e Úlcera varicosa, assim como Update da varicose.


Palestras sobre o tema da Tromboembolia

Na palestra de abertura  „Guia para a profilaxia da tromboembolia venosa – O que há de novo?“ a Prof. Dra. Sylvia Hass, de Munique, informou sobre o estado do Guia S3 de 2015 atualizado. O guia contém, entre outros conteúdos, recomendações especiais para a profilaxia da trombose em cirurgia e em medicina em ambulatório. Assim, a avaliação do risco é essencial, em particular a avaliação do risco individual de trombose do doente. Para a profilaxia da trombose em viagens longas, também se recomendam meias de compressão pela barriga da perna.


O tema da apresentação da Prof. Dra. Anke Strölin, de Tübingen, foi «Guia para a terapia da tromboembolia venosa – O que há de novo?». Na Alemanha são diagnosticadas cerca de 160 000 tromboses venosas profundas por ano. Porém, o número de casos não reportados é elevado, já que apenas 50 a 60% de todos os casos apresentam sintomas característicos. A terapia inicial continua a ser a anticoagulação e a compressão. A novidade do guia S2k atual inclui a possibilidade da administração direta de anticoagulantes orais (ADAC).  Uma recomendação do guia é o início precoce da terapia de compressão, a fim de diminuir a frequência e a gravidade do síndrome pós-trombótico  (SPT).


O primeiro bloco de temas foi completado pelo Prof. Dr. Sebastian Debus, Hamburgo, com o tema "Terapia do síndrome pós-trombótico – State of the Art». Depois da terapia de manutenção única de uma trombose venosa profunda (TVP), aproximadamente 90% dos doentes sofreram um SPT. Para evitar resultados muito marcantes, é necessário remover a obstrução do refluxo. Para tal, hoje em dia estão disponíveis diferentes métodos orientados para os resultados. Estes métodos de intervenção ter-se-iam revelado seguros e bem-sucedidos, embora sem poder prescindir da compressão que costuma acompanhar o doente durante o resto da vida.


Palestras sobre o tema da compressão

A apresentação da Sra. Justine Whitaker, Clitheroe / Inglaterra abordou a questão sobre „Can Velcro Wrap Systems Really Replace Compression Bandaging?“ (Poderão os sistemas com velcro substituir as dispositivos para compressão?) Uma resposta simples seria NÃO, porque só seria indicada para uma parte dos doentes. Mas se considerarmos os doentes como indivíduos e os seus diagnósticos diferenciados, a resposta poderia ser afirmativa. Outros estudos deveriam ter em conta tanto o efeito do sistema Wrap em diferentes estruturas do tecido conjuntivo como as causas das doenças.

Na palestra «Beyond varicosis (Para além da varicose) – Áreas de aplicação da moderna terapia de compressão», o Prof. Dr. Markus Stücker, de Bochum, examinou outras áreas de aplicação da compressão, além da flebologia, da linfologia e da terapia cicatricial. Estudos científicos demonstraram que as contraindicações das meias de compressão anteriores podem converter-se em indicações. Em determinadas condições, isto aplicar-se-ia por exemplo à doença arterial periférica oclusiva ou a certas doenças inflamatórias da pele.


Palestras sobre o tema Úlcera varicosa e Update varicose

A Prof. Dra. Felizitas Pannier, de Bona, deu duas palestras. No início falou das suas experiências positivas com a «Terapia a Laser Endovenoso», que realizou com êxito durante 18 anos. Com o passar do tempo este método tornou-se cada vez mais suave e o desenvolvimento mais recente dos lasers de radiação radial também contribuiu para isso, tendo sido evidenciadas as limitações deste tratamento de conservação dos vasos sanguíneos, por exemplo as veias safenas muito serpenteantes. A Dra. Pannier abordou igualmente o tema da „Esclerose  - e o que é possível“ na terapia química das varizes. Segundo a sua conclusão, a terapia da esclerose converteu-se na única terapia que pode ser aplicada a todas as veias varicosas.

«Update – Terapia cirúrgica da varicose» foi o tema tratado pelo Prof. Dr. Achim Mumme, de Bochum. Segundo a sua experiência, a moderna cirurgia das varizes seria recebida com muita satisfação pelos doentes e teria taxas de recidiva muito baixas. A planificação da operação e a técnica cirúrgica, como por exemplo a extirpação venosa invaginante, são determinantes. Com esta técnica especialmente suave, a veia a extirpar é invertida de dentro para fora. Outro exemplo que citou foi a valvuloplastia endoluminal, uma espécie de meia de compressão à volta da veia. A sua mensagem final: „A moderna cirurgia das varizes: Suave – diferenciada – eficaz – sustentável“.

Durante o simpósio, Sarah Conen, da Juzo Product Management Phlebology, entregou ao Prof. Stücker, Presidente da Sociedade Alemã de Flebologia, um donativo em cheque no valor de 5000 euros. Com este donativo, a Juzo pretende apoiar a ação do grupo de trabalho «Flebologia Jovem».

Os diretores científicos e os organizadores mostraram-se satisfeitos com a boa resposta a este simpósio internacional.  O feedback dos convidados e dos palestrantes também foi consistentemente positivo.

O 3.º Simpósio Internacional de Flebologia terá lugar em 24.11.2018, em Munique.

Palestrantes

Prof. Dr. Sebastian Debus, médico, Hamburgo

Diretor do serviço de medicina vascular
Hospital universitário 
Hamburg-Eppendorf

Prof. Dra. Sylvia Haas, médica, Munique

Especialista em medicina geral

Prof. Dra. Birgit Kahle, médica, Lübeck

Médica-chefe
Serviço de Dermatologia, Alergologia e Venerologia

Prof. Dr. Achim Mumme, médico, Bochum

Diretor do Serviço de Cirurgia Vascular do St. Josef-Hospital
no hospital católico Bochum Ruhr-Universidade de Bochum

Prof. Dr. Felizitas Pannier, médico, Bona

Especialista em Dermatologia, Consultório de Dermatologia e Flebologia, Clínica e Policlínica de Dermatologia e Venerologia, Hospital Universitário de Colónia

Prof. Dr. Stefanie Reich-Schupke, Bochum

Especialista em Dermatologia e Venerologia, cátedra patrocinada Flebologia

Prof. Dr. Anke Strölin, médico, Tübingen

Consultora sénior
Universitäts-Hautklinik, Tübingen

Prof. Dr. Markus Stücker, médico, Bochum

Ltd. Médico do Centro Interdisciplinar de Venologia, Diretor Executivo do Serviço de Dermatologia, Venerologia e Alergologia do St.-Josef-Hospital

Justine Whitaker MSc, RN., Lancashire

Diretora, Enfermeira-Consultora e Professora Titular, Uclan, Reino Unido
Northern Lymphology Ltd

Impressões sobre o 2.º Simpósio Internacional de Flebologia em Hamburgo

Sob o título «A flebologia ultrapassa fronteiras», aproximadamente 200 participantes tiveram a oportunidade de fazer um intercâmbio de pontos de vista sobre as palestras interprofissionais. Os palestrantes informaram sobre os últimos avanços na terapêutica das varizes, desde medidas conservadoras e diversas técnicas cirúrgicas até ao tratamento das úlceras venosas.